Hoje, 26 de janeiro, pelas 18 horas, o Rómulo – Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra acolhe o lançamento do livro “Ciência e Tecnologia em Portugal: métricas e impacto (1995-2011)”, da autoria de Armando Vieira e Carlos Fiolhais.

Publicado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, o estudo apresenta um retrato do sistema científico‐tecnológico nacional com base na sua evolução entre 1995 e 2011. Armando Vieira e Carlos Fiolhais contextualizam a ciência e a tecnologia nacionais usando alguns países de referência e discutem o desempenho português nos programas europeus. São dadas respostas às seguintes questões: Que ciência se faz em Portugal? Que áreas são mais dinâmicas e que resultados se destacam? Que evidências surgiram do investimento realizado nesse período? Quais as forças e as fraquezas do nosso sistema científico ?

O trabalho apresenta indicadores muito favoráveis em termos de progresso da ciência e tecnologia em Portugal. No entanto, alertam os autores, em todos esses indicadores estamos ainda abaixo da média da União Europeia. Apesar de todo o crescimento, a ligação da ciência com a economia continua relativamente débil. Por exemplo, em 2011 o número de doutores a trabalhar em empresas era um dos mais baixos da União Europeia, as exportações de tecnologia de ponta representavam, em percentagem do total de exportações, cinco vezes menos do que a média na União Europeia e o número anual de pedidos de patentes por milhão de habitantes era cerca de dez vezes menor do que na média da União Europeia.

O estudo (disponível online aqui) será apresentado e debatido por Carlos Faro, do Biocant, e Carlos Geraldes, da Universidade de Coimbra.

 

 

 

 

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »