Num momento em que os Direitos Humanos estão na ordem do dia, a Universidade de Coimbra recebe a exposição “Escola Ibérica da Paz”. Composta por obras em formato de texto, pintura, gravura e desenho de alunos da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, a exposição está integrada no projeto Corpus Lusitanorum de Pace, coordenado por Pedro Calafate e com curadoria de José Quaresma.

Além das obras criadas pelos estudantes, os visitantes têm a possibilidade de ver alguns dos textos que serviram de inspiração para os mesmos. A exposição inclui manuscritos dos mestres renascentistas das Universidades de Coimbra, Évora, Salamanca, Alcalá e Valladolid. O mote para a exposição é o questionamento feito pelos autores dos textos dos fundamentos éticos, jurídicos e políticos da conquista e colonização da América. Os textos destacam a solidariedade acima do poder e a Razão da Humanidade acima da Razão do Estado, ao mesmo tempo que afirmaram a dignidade do ser Humano como fundamento da comunidade internacional.

A exposição divide-se em dois núcleos, um na sala de São Pedro na Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra e outro na sala de Exposições Temporárias do Museu Machado de Castro. A Escola Ibérica da Paz, que pode ser visitada até ao dia 23 de novembro, já esteve em Espanha e Manaus e, depois de Coimbra, a exposição segue para o Rio de Janeiro.

 

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »