O Prémio Nobel da Física de 2020 foi atribuído a Roger Penrose pela descoberta de que os buracos negros são “a previsão robusta da Teoria da Relatividade Geral”. O Nobel foi ainda atribuído conjuntamente a Reinhard Genzel e Andrea Ghez pela descoberta “de um objeto compacto supermassivo no centro da nossa galáxia que governa as órbitas das estrelas”.

O investigador do Departamento de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, João Rosa, fala-nos das investigações premiadas.

Marta Costa e Karine Paniza

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »