Universidade de Coimbra e Centro Hospitalar criam centro académico clínico

Set 24, 2015

Paulo Macedo, ministro da saúde, e Nuno Crato, ministro da educação e ciência assinaram a Portaria a 23 de setembro, na Sala do Senado

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Consórcio CHUC UC
Martins Nunes, José Gomes, Paulo Macedo, João Gabriel Silva, Nuno Crato e Duarte Nuno Vieira
Fotografia: © UC | Marta Costa

“Este consórcio torna-nos mais fortes, neste palco que é o mundo”. A afirmação é do Reitor da Universidade de Coimbra (UC), João Gabriel Silva, durante a assinatura da Portaria que formaliza a criação de um consórcio entre o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) e a UC, através da Faculdade de Medicina (FMUC). A cerimónia foi presidida pelos Ministros da Educação e Ciência, Nuno Crato, e da Saúde, Paulo Macedo. A sessão contou também com a presença do Presidente do Conselho de Administração do CHUC, José Martins Nunes, e o Diretor da Faculdade de Medicina, Duarte Nuno Vieira.

 

 

O novo acordo estabelece a criação do Centro Académico Clínico de Coimbra CHUC-UC. No documento estão definidas como prioridades a “introdução de programas inovadores e parcerias estratégicas que possibilitem avanços qualitativos na participação da comunidade” e que “contribuam para a obtenção de financiamentos externos”. Pode ainda ler-se no documento que se pretende a “promoção de uma cultura comum focada na excelência académica e clínica num contexto internacional e de redes transeuropeias.”

O Presidente do Conselho de Administração do CHUC, José Martins Nunes, afirma que foi assim constituído “o maior consórcio académico clínico do país”. O responsável realçou ainda que o acordo vai obrigar o CHUC e a UC “a ser cada vez mais agentes de mudança e garantia de progresso”.

“O consórcio vai ter acesso direto à investigação”, sublinhou Nuno Crato. Durante a cerimónia, o Ministro da Educação e Ciência lembrou que a “prática clínica tem potencial para ser melhorada”. Já o Ministro da Saúde afirmou que a portaria “é um exemplo”. O facto de estar “aberta também a outras instituições” dá-lhe ainda maior potencial de crescimento, referiu Paulo Macedo, que considera que, em conjunto “teremos mais possibilidades”. “É um bom dia para Coimbra, para a saúde e para os portugueses”, concluiu o Ministro da Saúde.

 

 

Texto por Thaíssa Neves, estagiária Projeto Imagem, Media e Comunicação da Universidade de Coimbra.

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »