“Nada substitui estarmos ao vivo ou a relação que se estabelece presencialmente”

Out 6, 2020

Cerimónia de receção aos novos alunos decorreu para um grupo simbólico de alunos no Auditório da Reitoria, mas foi transmitida para toda a comunidade de forma online.

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someone

Acolhimento Novos Estudantes MC2020 2
Fotografia: © UC | Marta Costa

2020/2021 é “um ano que todos sabemos que vai ser difícil”. Durante a sessão de acolhimento aos novos estudantes da Universidade de Coimbra (UC), o Reitor, Amílcar Falcão, garantiu que “a UC se preparou bem para este ano letivo. Não seremos «a» mas «das» instituições de Ensino Superior mais seguras e temos um sistema bastante complexo e exigente” preparado para a receção, sublinhou.

O responsável falava no Auditório da Reitoria para um número simbólico de estudantes presentes fisicamente e para um maior número, através de transmissão online. Foram cerca de 3300 os novos estudantes matriculados pela primeira vez na Universidade de Coimbra. Um local onde, para o Reitor, “uma uma universidade, fora da universidade, um sem número de atividades, fora do contexto de aulas, e muito para fazer. Estudar, estuda-se em todo o lado”. No entanto, Amílcar Falcão deixou o apelo: “não há espaço para exageros. Ninguém é obrigado a fazer nada”.

Quanto às dificuldades que o novo ano acarreta, Amílcar Falcão afirma que “não há ensino remoto que substitua o ensino presencial”. “Nada substitui estarmos ao vivo ou a relação que se estabelece presencialmente”, sublinhou. O Reitor deixou ainda o desejo de que “a UC se mantenha todo o ano letivo em regime presencial”. Para isso, o responsável conta com “o esforço coletivo” de todos.

“A vossa geração é a que mais vai sofrer”, continuou o presidente da Direção-geral da Associação Académica de Coimbra (AAC), Daniel Azenha, referindo-se não apenas à pandemia global da COVID-19, como também às alterações climáticas. “A melhor ferramenta [que têm para o futuro] é o ensino”, sublinhou o dirigente estudantil. A acabar o mandato na AAC, Daniel Azenha acrescentou ainda que os novos estudantes têm, na UC, “as melhores condições para aprender e crescer enquanto pessoas”. “Vocês podem mudar o mundo”, concluiu.

não é apenas o coração que escolhe Coimbra

O Provedor do Estudante, Paulo Peixoto, deixou também conselhos aos novos estudantes da UC. “Vocês são novos aqui. Novos porque estão a chegar e novos na idade. Mas todos aqui temos 730 anos. Uma idade suficientemente avançada para sentir que fazemos parte desta comunidade. Todos estes princípios e valores vão ao encontro do nosso desafio coletivo: o bom funcionamento da nossa instituição”.

“A UC é uma porta para o mundo”, acrescentou ainda a Vice-Reitora para a Área Académica e Ação Social. Cristina Albuquerque fechou a cerimónia com uma nota positiva de que “é possível construir um mundo melhor e trazer novas coisas, com curiosidade académica, cultura, diferenças e semelhanças. E é com esse espírito e esse orgulho que vos dizemos que bom que é receber-vos”.

A cerimónia, que terminou com a participação do Grupo de Fados e Guitarradas da Secção de Fado da AAC, contou ainda com o testemunho de três estudantes da UC, que falaram sobre a sua passagem e as razões que levaram a escolher – e ficar – na Universidade de Coimbra. Enquanto Maria Elisa Carvalho sublinhou que “não é apenas o coração que escolhe Coimbra”, Paulo Cortesão pediu para que os novos estudantes “não tenham medo de aprender e expandir conhecimentos”. Já Rafael Firpo, congratulou os novos alunos “pela coragem e ousadia, mesmo em tempos difíceis, não adiaram nem desistiram de vir estudar em Coimbra”.

Veja aqui a Cerimónia de Acolhimento aos Novos Estudantes da UC 2020/21 na íntegra.

 

Assinatura

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »