Chegou a hora de as plantas adotadas pelos estudantes da Universidade de Coimbra (ao abrigo do programa UC.Plantas, promovido pelo Jardim Botânico) encontrarem uma nova casa. As 500 pequenas árvores, de oito espécies, que ao longo do último ano letivo foram acolhidas e conservadas pelos alunos da instituição, vão ser usadas para replantar a quinta do Palácio de São Marcos (São Silvestre, arredores de Coimbra), após os estragos provocados por um incêndio florestal e pela passagem da tempestade Leslie.

A iniciativa de reflorestação de parte deste espaço verde está marcada para dia 15 de fevereiro de 2019 (das 9h00 às 13h00) – incluindo também atividades de controlo de espécies invasoras e de limpeza de resíduos vegetais (deixados pelo incêndio de 2017 e pela tempestade de 13 de outubro). A UC convida os estudantes-adotantes a participarem nesta etapa final do UC.Plantas, oferecendo transporte e almoço.

O evento insere-se na missão de responsabilidade social da Universidade de Coimbra. “Com estas iniciativas, a UC pretende chamar a atenção dos seus estudantes para os cuidados que todos devemos ter com o ambiente e com o mundo que nos rodeia, tomando consciência da quota-parte de responsabilidade que temos na sustentabilidade ambiental”, explica Madalena Alarcão, vice-reitora da instituição.

Tudo começou no início do ano letivo 2017/18: como parte das atividades de receção dos novos estudantes, os alunos foram convidados a adotar e cuidar, durante o ano letivo, de uma planta da flora nativa do territorial nacional (carrasco, carvalho negral, medronheiro, pilriteiro, pinheiro manso, sobreiro, tramazeira e zêlha), sob supervisão do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra. A iniciativa de promoção da biodiversidade – denominada UC.Plantas, sob o lema ‘saber plantar o futuro’ – repetiu-se no arranque de 2018/19 (até ao momento foram mais de 800 os alunos que que aceitaram o desafio).

“A ideia do projeto é que as plantas sejam colocadas num local que seja necessário reflorestar e que os estudantes que as adotaram e delas cuidaram participem também na última fase, que é colocá-las no solo”, nota o diretor do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra (JBUC). António Gouveia sublinha que esta iniciativa de responsabilidade ambiental tem servido também para fortalecer os laços entre o JBUC e os jovens universitários (que vão contactando com o Jardim para esclarecer todas as dúvidas sobre a melhor forma de cuidar das espécies a seu cargo).

O facto de a primeira ação de reflorestação – a que se seguirão outras, com as pequenas árvores acolhidas pelos estudantes ao longo de 2018/19 – decorrer num espaço verde a cargo da Universidade de Coimbra, como a quinta do Palácio de São Marcos, é particularmente simbólico: “Podermos cuidar de um espaço do qual também usufruímos é algo que nos parece extremamente importante”, sublinha Madalena Alarcão. Os trabalhos passarão também pela “recolha de resíduos vegetais caídos e pelo controlo das plantas invasoras (como acácias e alguns eucaliptos de germinação espontânea), para que se possa dar lugar uma nova mancha florestal, com várias espécies e com uma componente arbustiva”, completa António Gouveia. E assim, a quinta do Palácio de São Marcos promete renascer, a partir de 15 de fevereiro.

 

 

Mais informações sobre o projeto UC.Plantas disponíveis aqui.

 

Texto: Rui Marques Simões
Vídeo: François Fernandes e Milene Santos

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »