“Temos uma Casa de Investigação. Temos uma Casa de Jurisprudência. Falta-nos uma Casa da Livraria”. O diretor da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (FDUC), Rui de Figueiredo Marcos, deu assim início à sessão de apresentação do novo estudo prévio.

“Dispomos há muito de um projeto acabado de uma tão formosa quanto moderna biblioteca que o prestigiado arquiteto Siza Vieira esquadrinhou”, continua o diretor da FDUC. “Entretanto o projeto envelheceu, mas não se esfumou a nossa esperança”, garante Rui de Figueiredo Marcos. “Uma esperança que se revigora no momento que que, cobertos de curiosidade, vamos assistir exatamente à apresentação de um projeto revigorado e atualizado para a Biblioteca da Faculdade de Direito de Coimbra”.

A apresentação do estudo prévio da nova Biblioteca da FDUC foi feita em novembro de 2006, com a entrega do projeto de execução a acontecer em fevereiro de 2009 desde aí até hoje, mais de uma década passou. Desde atrasos devido razões de ordem técnica, ou a crise económica que obrigou ao adiamento das atividades programadas, a antiga Faculdade de Farmácia, no Polo 1, mantém-se inalterada.

Com a saída de nova legislação, em 2005, foi necessário “introduzir alterações no projeto inicial, de modo a adequá-lo às exigências e regulamentos agora em vigor, nomeadamente no que toca à segurança ambiental e contra incêndios, à acústica, a instalações eléctricas e hidráulicas, à saúde e à gestão de resíduos”, explica nota da FDUC. Com a conclusão dos trabalhos, foi apresentado o novo estudo.

“É um sonho de projeto”, sublinha o arquiteto Álvaro Siza Vieira. “É um projeto que qualquer arquiteto sonha de fazer num sítio como este”.

Sobre as alterações, o arquiteto garante que “o conceito geral, o aspecto do edíficio, mantém-se. Foi mais internamente, nos circuitos, nos materiais, a acústica, que tem muitas exigências. Mas estão resolvidos e aprovados”.

 

Marta Costa e Karine Paniza

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »