Sons da Cidade para celebrar a Liberdade

Jun 4, 2019

A apresentação oficial do programa do Sons da Cidade teve lugar no Auditório da Feira Cultural de Coimbra a 4 de junho.

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Está quase a começar mais uma edição do Sons da Cidade. De 21 a 23 de junho, o programa que celebra a inscrição da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia na Lista do Património Mundial da UNESCO faz uma proposta artística ancorada na reflexão em torno da Liberdade aproveitando os 45 anos da revolução de 25 de abril de 1974 e os 50 anos da crise académica de 1969.

Concertos, tertúlias, visitas guiadas, espetáculos de comédia e performances são as muitas atividades que durante três dias prometem animar toda a cidade, indo para “fora da zona delimitada como património” e de modo a “redescobrir o património intangível”, adiantou o presidente da Associação RUAS e Vice-Reitor da Universidade de Coimbra (UC) para o Património, Edificado e Infraestruturas, Alfredo Dias, durante a apresentação pública do programa do evento.

A VI edição do evento cultural resulta de uma organização da Universidade de Coimbra, da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) e da Associação RUAS (Recriar a Universidade, Alta e Sofia), e programação e produção a cargo do Jazz ao Centro Clube (JACC), da UC e da CMC.

A Diretora Regional de Cultura do Centro, Suzana Menezes, enalteceu a iniciativa que considera ser “um ato de coesão territorial” que junta as forças vivas da cidade e que tem “a particularidade de se apropriar do espaço público”. Também Delfim Leão, vogal da direção da Associação Ruas e Vice-Reitor da UC para a Cultura e Ciência Aberta, focou a união de forças como uma das mais valias do Sons da Cidade, afirmando que “a celebração anual da classificação é mais uma pedra no edifício que se vai construindo entre a universidade, a cidade e a região”.

Sob o signo da reflexão e da intervenção artística o programa desta edição do Sons da Cidade “mostra a dimensão da criação” e uma cidade que é um “pólo criativo”, afirmou o presidente do JACC, José Miguel Pereira que aproveitou para destacar dois momentos da vasta panóplia de atividades: a performance “Ecos da Liberdade”, no dia 22 de junho, às 21h30, no Centro de Artes Visuais, feita em colaboração com o CITAC e Velha Capital e que consiste num espetáculo que resulta de oficinas de escrita, produção musical e expressão dramática; e o percurso poético “RUCriar Caminhos: Pelo Património de Coimbra”, que resulta de uma parceria entre a Associação ReCriar Caminhos e a Rádio Universidade de Coimbra e que se traduz num percurso com instalações sonoras e performances poéticas.

Para a vice-presidente da Associação RUAS e vereadora da Cultura, Turismo e Juventude da CMC, Carina Gomes, a celebração da classificação da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia “deve ser um momento de celebração de todas as zonas da cidade”. A responsável frisou ainda que o trabalho entre as várias entidades tem vindo a intensificar-se e que é um caminho para o objetivo de ter Coimbra como Capital Europeia da Cultura 2027.

 

Conheça toda a programação aqui: Sons da Cidade 2019 – Programa

 

 

F. Fernandes e Milene Santos

 

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »