A Universidade de Coimbra (UC) assinou esta quinta-feira, dia 6, um protocolo de cooperação e intercâmbio na área de pesquisa e tecnologia agropecuária com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), tornando-se a primeira universidade portuguesa a celebrar um acordo do género com a empresa estatal brasileira. Além de estimular a relação da UC com o exterior, este acordo permite à instituição fortalecer-se na área agroalimentar.

Numa área que “é cada vez mais exigente”, a Universidade de Coimbra conseguiu estabelecer um acordo com uma empresa que é uma “referência mundial”, reforçando “a interligação entre a ciência e a agricultura”, sublinha o Reitor da instituição, João Gabriel Silva.

Protocolo UC - Embrapa

O protocolo com a Embrapa, empresa com 42 centros de investigação distribuídos pelo Brasil, “é uma oportunidade” para a Universidade de Coimbra, aponta, por sua vez, o vice-reitor Amílcar Falcão. Para além de “estimular a relação com o exterior”, através da mobilidade de pessoas e da criação de projetos conjuntos, este acordo servirá de “âncora” a uma maior organização dentro da própria UC. “Permite construir à volta deste protocolo um polo mais forte em torno da área agroalimentar da Universidade de Coimbra”, acrescenta.

Para a Embrapa este protocolo também resolve a “lacuna” da ausência de acordos do género em Portugal. “A Embrapa tem muitas coisas e podemos contribuir em conjunto, em Portugal e no Brasil, esperando o desenvolvimento nos dois países e sociedades. Este é um acordo geral que vai ser traduzido em projetos específicos, nas áreas de aproveitamento de recursos naturais ou nano e biotecnologia”, descreve o chefe geral dos Recursos Genéticos e Biotecnologia da empresa brasileira, José Cabral Dias.

Inicialmente, o acordo irá arrancar com projetos na área da biotecnologia que envolvem investigação centrada no Biocant (UC Biotech), com a participação ativa do CNC/UC (Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra), mas os responsáveis pretendem a curto prazo estimular o envolvimento de outras unidades de investigação da Universidade de Coimbra.

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »