A Universidade de Coimbra (através do seu Laboratório MAREFOZ) e a empresa CrystalSalt assinaram um protocolo de colaboração, tendo em vista a realização de projetos de investigação na Salina da Gala (Figueira da Foz). O objetivo é “ajudar com o desenvolvimento das atividades da CrystalSalt por via da transferência de conhecimentos”, explica o coordenador do Laboratório MAREFOZ, João Carlos Marques. Para o responsável, o protocolo evidencia “uma aposta segura e séria da Universidade na Figueira da Foz”.

O acordo visa o estabelecimento de projetos de investigação nos domínios dos solos, águas, lamas e da salicórnia (alga). Para um dos promotores do projeto da CrystalSalt, João Girão, afirma que “faz todo o sentido ir à procura do know-how que a UC tem e transpô-lo para a Salina”. O objetivo é “criar um polo de investigação” na Salina da Gala.

Um investimento feito por fases. Com a reabilitação da salina a decorrer, inicia-se agora a fase de construção do edifício de apoio, que deve estar concluído “em 2024-2025”, explica João Girão. O investimento de cerca de 1.6 milhões de euros e que, revela João Girão, conta com várias vertentes como “turística, industrial e na exploração do próprio sal, mas sempre de uma perspetiva de qualidade”.

João Girão acredita que se quer “valorizar o papel do sal”. Para tal, “este protocolo faz todo o sentido”, continua o promotor da CrystalSalt, para “estabelecer dinâmicas na própria qualidade”. “Queremos que o sal seja o factor principal”, conclui.

Marta Costa e Karine Paniza

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »