Aluno do DEEC cria estratégias para reduzir consumo energético

Jan 15, 2015

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

HD3
O prémio de melhor comunicação foi entregue no congresso que se realizou em Marselha, França.
Fotografia: © DR

Um aluno do Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (DEEC/FCTUC) está a construir estratégias para criar “uma aplicação que vai reduzir o consumo energético em dispositivos eletrónicos capazes de codificar vídeo em tempo real”. Guilherme Corrêa é aluno de doutoramento em Telecomunicações e o seu trabalho foi recentemente distinguido com o prémio de melhor comunicação científica na conferência internacional “ICECS 2014 – 21st IEEE International Conference on Electronics Circuits and Systems”.

“É um trabalho relacionado com a redução de complexidade computacional do codificador de vídeo HEVC”, explica Guilherme Corrêa. Sobre o HEVC, acrescenta que é um dos codificadores mais recentes na indústria e tem sido muito pesquisado na academia nos últimos anos. O investigador tem desenvolvido, no âmbito da tese de doutoramento orientada pelo docente do DEEC/FCTUC, Luís Cruz, “estratégias que reduzem a complexidade computacional do codificador de vídeo HEVC” que pode ser usado “em dispositivos de telecomunicações, televisores ou no próprio cinema”. Os codificadores servem para “reduzir o tamanho da informação que é usada para representar os vídeos digitais hoje em dia”, adianta.

o tempo de execução da codificação do vídeo é reduzido até 65 por cento

“No artigo que foi publicado na conferência e que recebeu o prémio, proponho uma série de estratégias baseadas em técnicas de data mining, para reduzir a complexidade computacional do padrão HEVC, nomeadamente na parte de decisão de estruturas de particionamento das frames dos vídeos codificados de acordo com esse padrão”. Guilherme Corrêa conta que utilizou “informações intermediárias do processo de codificação e informações extraídas do vídeo original não codificado” para simplificar o método.

Em termos práticos, a simplificação do processo vai possibilitar “reduções de até 65 por cento na complexidade computacional do codificador”. Isto significa que “o tempo de execução da codificação do vídeo é reduzido até 65 por cento”, explica o investigador do DEEC/FCTUC. O custo das estratégias desenvolvidas por Guilherme Corrêa é de “um aumento de apenas 1,32% na taxa de bits, ou seja, uma perda muito pequena na taxa de compressão”. “Por exemplo, num dispositivo móvel, como um telemóvel, um vídeo codificado levaria menos 65 por cento de tempo a ser codificado, o que significa que levaria menos 65 por cento da bateria do meu telefone nesta aplicação prática”.

Guilherme Corrêa é brasileiro e está a realizar o doutoramento do DEEC/FCTUC como bolseiro do programa Ciência sem Fronteiras do CNpQ. Apresentou a comunicação “Classification-Based Early Termination for Coding Tree Structure Decision in HEVC”, de que foram co-autores Pedro Assunção, Luciano Agostini e Luís A. da Silva Cruz. A conferência realizou-se em Marselha, França, entre 7 e 10 do passado mês de dezembro.

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »