a carregar...

Começou mais uma Universidade de Verão na UC

Jul 17 • Sem comentários em Começou mais uma Universidade de Verão na UC

Um total de 324 participantes vão conhecer o que é estudar na Universidade de Coimbra durante uma semana.

PartilheShare on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Email this to someone

UV2017 Universidade de Verão
Os participantes da UV chegam a Coimbra de todos os pontos do país, mas também do Brasil, Bélgica e Emirados Árabes Unidos.
Fotografia: © UC | Marta Costa

A Universidade de Verão da Universidade de Coimbra (UC) arrancou a 15 de julho na Alta Universitária, mas durante uma semana, os 324 participantes vão andar um pouco por toda a cidade a conhecer o que é ser estudante em Coimbra. Com um total de 21 áreas do saber à escolha, os alunos do ensino secundário foram recebidos por atuais alunos da UC, que vão ser monitores que os vão acompanhar, e pelos docentes responsáveis pelas atividades em que vão participar.

O presidente da Associação Académica de Coimbra (AAC), Alexandre Amado, deu as boas-vindas aos alunos no Pátio das Escolas relembrando que a UC “tem um prestígio inigualável”, reforçando a “Academia diferente” que também tem. Ao dar a conhecer um pouco da história dos mais de 130 anos da AAC, o dirigente estudantil apresentou a posição “eclética” aos níveis cultural, desportivo e pedagógico da academia coimbrã. “A história fala por si”, afirmou Alexandre Amado, que brincou com a utilização de “todos os chavões que estão, a maior parte das vezes, proibidos nos discursos”.

Também o Reitor da UC, João Gabriel Silva, deu as boas-vindas aos participantes da Universidade de Verão. “Há uma relação entre uma universidade atual e o mundo que nos rodeia, que não é evidente à cabeça”, sublinhou o Reitor. “Numa universidade, estamos num mundo onde a aprendizagem e o trabalho, é o que conta. O resto, pode fazer sentido lá fora, mas aqui, isso é o que conta”. João Gabriel Silva recordou ainda que a UC é uma das únicas três universidades do mundo classificadas como Património Mundial da UNESCO, não apenas pela beleza dos edifícios mas porque “representamos um papel central ao longo de tantos séculos para o conhecimento da Língua e Cultura Portuguesa. É um local irrepetível”.

Saiba mais aqui.

Texto de: Marta Costa

Redes Sociais

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


*

« »

oo