Concerto da Orquestra Académica da UC dá pontapé de saída à 22.ª Semana Cultural

Fev 28, 2020

Espetáculo conta com a estreia de uma obra, composta para assinalar os 730 anos da UC.

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someone

Conf Imprensa OAUC
Fotografia: © UC | Karine Paniza

O “sonho de alguns músicos tornou-se realidade” com a criação, em 2016, da Orquestra Académica da Universidade de Coimbra (OAUC). Com concertos anuais na abertura do ano letivo e no Dia da UC, em 2020 o concerto de 1 de março, dia da Universidade, é “especial”. De acordo com o subcomissário geral da OAUC, Eduardo Ribeiro, com a celebração dos 730 anos da UC foi proposta “a aquisição de uma obra comemorativa” que “para além de orquestra sinfónica, é para coros”. Em palco para apresentar a obra Universis, de Luís Cardoso, juntam-se à OAUC o Coro Misto da UC e o Orfeon Académico de Coimbra.

“Para nós, OAUC, está a ser muito entusiasmante prepara este concerto”, acrescenta Eduardo Ribeiro. O responsável revela ainda a estreia de “uma pequena abertura, composta por Carlos Firmino”. “Little Overture” junta-se à obra “Universis” e o concerto termina com a apresentação de “Static Waters“, de Steven Briant. “São três obras contemporâneas com três sonoridades muito diferentes, o que leva a termos «três» orquestras completamente diferentes”, adianta o maestro Leandro Alves.

OAUC 1 de março 2020

Universis” parte da Carta Fundacional da UC, de 1290, “em que D. Dinis estabelece a fundação da UC nos estudos gerais”, revela Luís Cardoso. Antigo estudante de Coimbra, recebeu o convite para compor a obra “com muito orgulho”. Apesar do desafio, a obra “Universis“, em quatro andamentos, parte do texto da carta, em latim, e procurou “ter os pontos fundamentais e uma certa sensibilidade: o que levaria o rei a criar os estudos gerais em 1290” e, ao mesmo tempo, transmitir “a força que o conhecimento tem e que a UC teve em se manter durante os seus 730 anos”.

“Aquilo que hoje é tradição foi uma ousadia no seu tempo”, reforçou o Vice-Reitor para a Cultura, Delfim Leão. O espetáculo, que dá o pontapé de saída para a 22.ª Semana Cultural da UC, com o tema “Ousadia(s), é “um dos momentos que temos vindo a destacar e que se espera icónico, não só da Semana Cultural, mas também dos 730 anos da UC”, acrescenta. Para Delfim Leão, “a forma como o concerto foi pensado exprime muito bem o que é a dinâmica que se pretende dar à cultura da UC”. “A ousadia é essencial para esta renovação”.

O concerto tem lugar no domingo, 1 de março, pelas 21h30 no Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV). Os bilhetes já estão disponíveis na bilheteira do TAGV e online, através da Bol. Os preços variam entre os 4 euros, para estudantes da UC, 6 euros para os descontos habituais, e os 8 euros, preço geral.

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »