A Associação Ibérica de História Militar, séculos IV-XVI (AIHM), liderada por João Gouveia Monteiro, professor catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), acaba de anunciar o vencedor da terceira edição do “Prémio Jovens Investigadores”, uma distinção bienal com o valor de 3000 euros, atribuído em parceria com o Banco Santander, e que visa distinguir um trabalho inédito assinado por um investigador com menos de 35 anos, sobre história militar ibérica dos séculos IV a XVI. O premiado nesta terceira edição (2020) é Ekaitz Etxeberría Gallastegi, de 29 anos, Licenciado (2013), Mestre (2014) e Doutor (2019) em História pela Universidad del País Vasco (Espanha).

O trabalho apresentado, com o título “Estrategia y Táctica Militar en la Castilla del siglo XV, 1407-1492”, constitui a Tese de Doutoramento de Ekaitz Etxeberría, preparada sob a orientação de José Ramón Días de Durana Oriz de Urbina e Jon Andoni Fernández de Larrea Rojas. O estudo, produzido no âmbito do Programa de Doutoramento «Europa y el Mundo Atlântico: Poder, Cultura y Sociedad», aborda um tema muito interessante mas exigente, tendo em conta um certo ‘vazio’ historiográfico acerca da prática da guerra em Castela ao longo da centúria de Quatrocentos (mau grado a amplitude de ocorrências militares relevantes). Por outro lado, a escassez de documentação de natureza administrativa obrigou o autor a trabalhar com um elevado e diversificado número de fontes narrativas, o que exigiu cautelas especiais do ponto de vista hermenêutico, agravadas pelo grande sortido de cenários bélicos considerados e pela diversidade das presumíveis influências militares recebidas, quer internas, quer externas (do Norte da Europa ao mundo muçulmano).

O júri do Prémio Jovens Investigadores AIHM – Banco Santander Portugal 2020 distinguiu a seriedade, a amplitude e a originalidade do trabalho de Ekaitz Etxeberría, a qualidade da escrita e, de uma maneira especial, a importância do seu contributo historiográfico para o conhecimento da arte militar castelhana no derradeiro século da Idade Média.

Nesta 3.ª edição do Prémio Jovens Investigadores foram ainda distinguidos com Menções Honrosas os trabalhos apresentados por Javier Albarrán Iruela (“Los discursos de guerra santa y la memoria de las primeras batallas del Islam. Al-Andalus, siglos X-XIII”) e por Pedro Filipe Fernandes Sebastião (“Os espingardeiros. Um corpo militar no alvor da Modernidade (1437-1495”).

A Associação Ibérica de História Militar, séculos IV-XVI (AIHM) é uma sociedade científica fundada em 2015 e que reúne investigadores (sobretudo portugueses e espanhóis) que se dedicam à pesquisa sobre a história militar hispânica, desde o período final do Império Romano até ao Renascimento. A AIHM organiza semestralmente reuniões científicas e visitas de estudo, edita uma revista eletrónica anual (e-Strategica) e promove a edição de livros. Toda a informação sobre a associação pode ser consultada em: aihmilitar.wix.com/site.

O júri do Prémio Jovens Investigadores AIHM – Banco Santander Portugal 2020 foi composto por: João Gouveia Monteiro (Professor Catedrático da Universidade de Coimbra e Presidente da AIHM), João Paulo Marcelo Velez (Diretor de Comunicação e Marketing do Banco Santander Portugal), Francisco García Fitz (Professor Catedrático da Universidad de Extremadura (Cáceres) e Vice-Presidente da AIHM), José Manuel Henriques Varandas (Professor Auxiliar da Universidade de Lisboa) e José Manuel Calderón Ortega (Professor Catedrático da Universidad de Alcalá de Henares).

Rui Marques Simões

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »