Instituto de Anatomia Patológica da FMUC promove o curso sobre cancro do pulmão

Mai 10, 2018

O curso é dirigido a médicos seniores e a médicos internos das especialidades médicas que confluem para ajudar o doente com cancro do pulmão a viver com melhor qualidade de vida e durante mais tempo

PartilheShare on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Email this to someone

FMUC
Fotografia: © UC | Marta Costa

O Instituto de Anatomia Patológica da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), localizado no Polo I, realiza, amanhã, 11 de maio, o “Molecular Pathology in Medicine VIII Coimbra Lung Cancer Anatomo Clinical 1st Course”.

Trata-se de um curso que reúne médicos, investigadores e representantes da indústria farmacêutica, com o objetivo de promover a partilha de conhecimento para difusão do estado da arte atual de diagnosticar e tratar o cancro do pulmão.

A sessão de abertura tem lugar, às 9h45m, na Sala Renato Trincão, com a participação do diretor da Faculdade de Medicina, Duarte Nuno Vieira, e do diretor do Centro de Cirurgia Cardiotorácica do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), Manuel Antunes.

O curso é dirigido a médicos seniores e a médicos internos das especialidades médicas que confluem para ajudar o doente com cancro do pulmão a viver com melhor qualidade de vida e durante mais tempo: oncologistas, pneumologistas, radiologistas, médicos de medicina nuclear, médicos de radioterapia, anatomopatologistas e cirurgiões cardiotorácicos.

O cancro do pulmão está «relacionado com o tabaco, em ambos os géneros, usado de forma ativa e quando há inalação passiva. É o tumor maligno mais frequente e cerca de 75% das pessoas chega ao médico em fase não cirúrgica. Isto é, a maioria dos doentes com cancro do pulmão tem de ser submetida a tratamentos dirigidos ao tumor, logo após o diagnóstico. Este é baseado nas caraterísticas das células tumorais, obtidas por biópsia ou por colheita segundo metodologias atuais», afirmam os promotores do curso.

O Instituto de Anatomia Patológica e Patologia Molecular (IAP – PM) da FMUC e alguns médicos da Anatomia Patológica do CHUC dedicam-se há trinta anos ao estudo da biopatologia e das caraterísticas moleculares do cancro do pulmão. Os médicos anatomopatologistas e os investigadores do IAP – PM que se dedicam a esta área foram pioneiros, em Portugal, na caraterização molecular, para os doentes beneficiarem do tratamento mais adequado e atual que prolonga o tempo de vida após o diagnóstico da doença.

 

Cristina Pinto

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »