Investigação da UC sobre doença de Huntington vence prémio da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento

Jan 7, 2015

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

FMUC_alta
Os prémios FLAD Life Science 2020 foram atribuídos pela primeira vez este ano.
Fotografia: © UC | François Fernandes

A equipa da investigadora Ana Cristina Rego, do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra, recebeu o prémio FLAD Life Science 2020 na categoria de investigação aplicada, pelo trabalho sobre a doença de Huntington.

O projeto, que vai receber um prémio de 400 mil euros, pretende saber o motivo das diferenças na progressão da doença de Huntington, tendo em conta as semelhanças nas alterações genéticas dos pacientes.

Os prémios FLAD Life Science 2020, atribuídos pela primeira vez este ano, são promovidos pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) e distinguem projetos de investigação na área das ciências da vida. O galardão financia com 800 mil euros dois projetos no domínio da ciência e investigação com uma duração entre 3 a 4 anos e é dirigido a investidores que operem em território nacional e que colaborem com uma instituição portuguesa, não lucrativa, pública ou privada.

George Dailey, da Harvard Medical School, Estados Unidos, foi o outro vencedor do prémio na categoria de investigação aplicada. O grupo do cientista Hélder Maiato, do Instituto de Biologia Molecular e Celular da Universidade do Porto, e Ekaterina Grishchuck, da Universidade da Pensilvânia, Estados Unidos, recebe o prémio na categoria de investigação básica, pelo estudo cromossomático.

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »