a carregar...

Latada 2017 com resultado “bastante positivo”

Out 9 • Sem comentários em Latada 2017 com resultado “bastante positivo”

Estudantes fazem balanço positivo da festa de recepção aos novos alunos, que teve lugar de 4 a 8 de outubro.

PartilheShare on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Email this to someone

AAC conferência Latada 2017
A organização apresentou o balanço da festa em conferência de imprensa.
Fotografia: © UC | Marta Costa

As alterações logísticas e de estrutura na Festa das Latas e Imposição de Insígnias foram muitas. Na última noite, a organização fez um balanço da Latada 2017 que, afirma o presidente da Direção-geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC), Alexandre Amado, teve um “resultado bastante positivo”.

O cartaz apresentava apenas bandas nacionais o que, para Alexandre Amado, “foi uma aposta 100 por cento vencedora”, o que se reflete nas entradas. Sublinha o presidente da DG/AAC que o cartaz “tornou a festa mais chamativa e mais próxima”, para além de que serviu ainda como “divulgação da música portuguesa”. O estudante revelou que os resultados vão ser “substancialmente positivos” em comparação com edições anteriores, com a venda entre 45 e 50 mil entradas no recinto da festa. Os dias mais fortes, adiantou ainda Alexandre Amado, foram sexta e sábado.

Outras mudanças que tiveram lugar em 2017 e foram referidas pela organização durante a conferência de imprensa de balanço foram o espaço e a data da festa. A escolha de não haver uma tenda na zona do palco principal foi assumida pela organização. O administrador da AAC, João Ferreira, considerou que, “com a antecipação [da festa] uma semana não se justificava”, pela possibilidade de melhores condições climatéricas, que se vieram a verificar. E a escolha da data foi ainda feita de forma a haver “maior espaço de antecipação dos exames”, disse o responsável.

“Foi mais ou menos unânime que o recinto estava com uma dinâmica de pessoas melhor”, continua Alexandre Amado. A reestruturação do local das entradas, que eram feitas no fundo do recinto, tiveram um “feedback positivo” que “compensa” alguns problemas. “Há uma reflexão maior a fazer”, considera o presidente da DG/AAC.

“Alterações implementadas, tanto no recinto como no Sarau Académico [que, em 2017, regressou à Praça da Canção], são sempre possíveis”, afirmou João Ferreira. “Há aspectos a melhorar”, garantiu o administrador da AAC. “Não se encontra uma solução perfeita para o Sarau”, acrescenta Alexandre Amado sobre a fraca afluência de público no feriado para assistir ao Sarau Académico. “Fizemos aquilo que achámos que podia resultar da melhor maneira”.

A organização anunciou ainda que, durante o Cortejo foram recolhidos mais carrinhos de compras. Em comparação com o ano passado, Alexandre Amado fala que “o número diminuiu para metade”, o que “é um motivo de orgulho para todos”.

Para chamar mais pessoas e a cidade à Latada, o presidente da DG/AAC lembra que “a Praça da Canção devia ser reestruturada”, apelando a obras no piso, camarins, entre outras necessidades no espaço. Mas Alexandre Amado reafirmou que “a festa é dos estudantes e continua a ter mais estudantes”.

Texto de: Marta Costa

Redes Sociais

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


*

« »

oo