Prémio Almirante Teixeira da Mota/2018 atribuído a Álvaro Garrido

Nov 21, 2018

Obra do docente da FEUC "As Pescas em Portugal" foi escolhida por unanimidade do júri.

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Álvaro Garrido
Fotografia: © DR

O Prémio Almirante Teixeira da Mota/2018 foi atribuído, por unanimidade do júri, ao livro “As Pescas em Portugal” de Álvaro Garrido, professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (FEUC). O livro, editado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, olha para os últimos cento e vinte anos da Pesca em Portugal e debruça-se sobre pontos importantes como a campanha do bacalhau durante o Estado Novo, a adesão às zonas económicas exclusivas (já depois do 25 de abril) e também sobre os abates de barcos que se fizeram depois de Portugal aderir à Comunidade Económica Europeia – CEE.

O prémio bienal é instituído pela Academia de Marinha e distingue o melhor trabalho de investigação científica publicado em Portugal nas áreas de artes, letras e ciências ligadas ao Mar e às Marinhas.

A entrega da distinção vai acontecer em cerimónia pública a realizar em Lisboa em Março de 2019.

 

Sobre o autor
Álvaro Garrido é professor da FEUC e investigador do ceis20. Foi diretor do Museu Marítimo de Ílhavo entre 2003 e 2009. O seu trabalho de investigação centra-se na história económica e das instituições do século XX. Neste âmbito, tem publicado diversos livros e artigos sobre os temas do corporativismo, história das pescas e economia marítima. Iniciou um projeto de investigação sobre história das políticas públicas para o mar.
Sinopse da obra
Portugal, caso paradoxal: com 1610 quilómetros de costa, o país é palco frequente de polémicas no sector das pescas. Seja por causa das quotas ou do preço do peixe; dos salários ou da invasão de barcos e peixe estrangeiros — os problemas parecem não ter fim à vista.
No entanto, o que julgamos ser uma questão atual é, na verdade, um imbróglio que vem muito de trás. O debate comum está viciado por mitos e meias-verdades sobre o condicionamento das pescas pela Comunidade Europeia, sobre a época áurea do Estado Novo ou o peso que as pescas perderam na economia e na demografia.
Com contributos de pescadores, armadores, cientistas e decisores políticos, esta é uma história das pescas portuguesas e um retrato do atual estado do sector, num ensaio que lança as bases para um debate urgente e sério sobre as pescas em Portugal.

 

FEUC

 

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »