UC atribui Honoris Causa ao químico Krzysztof Matyjaszewski

Nov 20, 2018

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Krzysztof Matyjaszewski
Krzysztof Matyjaszewski é um investigador de referência no estudo dos polímeros.
Fotografia: © DR

O químico polaco-americano Krzysztof Matyjaszewski, investigador de referência no estudo dos polímeros, vai receber o grau de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Coimbra (UC), na próxima sexta-feira, dia 23. A cerimónia inicia-se às 10h30, na Sala dos Grandes Atos (Sala dos Capelos).

Helena Gil será a Apresentante, estando os elogios a cargo de Jorge Coelho (elogio do Doutorando) e Margarida Figueiredo (elogio da Apresentante). Os três são professores da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra (FCTUC), que propôs a atribuição do grau de Doutor Honoris Causa a Krzysztof Matyjaszewski, “como reconhecimento pelo seu trabalho notável e de absoluta exceção”.

Natural da Polónia, mas radicado há décadas nos Estados Unidos da América, Krzysztof Matyjaszewski, de 68 anos, integra a Universidade de Carnegie Mellon desde 1985 – tendo desempenhado cargos como diretor do Departamento de Química, diretor do Consórcio de Polimerização Radical Controlada e diretor do Centro de Engenharia Macromolecular da instituição. Coautor de mais de mil artigos científicos, que originaram mais de 127 mil citações, é um dos químicos mais citados de todo o mundo.

O químico polaco-americano foi o inventor da técnica Atom Transfer Radical Polymerization (ARRP), “que revolucionou o modo com os polímeros podem ser sintetizados de forma controlada por via radicalar” e veio permitir “a existência de novos materiais com aplicações em áreas como saúde, eletrónica, cosmética, revestimentos e muitas outras”, refere o diretor do Departamento de Engenharia Química da FCTUC, Jorge Manuel dos Santos Rocha, na proposta de atribuição do Doutoramento Honoris Causa.

Krzysztof Matyjaszewski, que já recebeu mais de uma dezena de doutoramentos honoris causa, foi distinguido com alguns dos mais conceituados prémios internacionais – como o Herman Mark Senior Scholar Award (2007), o Wolf Prize in Chemistry (2011) o North America Science Award (2013) ou o Franklin Institute Award in Chemistry (2017) – e esteve proposto por diversas vezes para o Prémio Nobel da Química, é também “um confesso admirador da Universidade de Coimbra”. O químico polaco-americano “tem mantido ao longo dos últimos anos uma longa e frutuosa colaboração com o Departamento de Engenharia Química, ao nível da realização de projetos comuns, co-supervisão de estudantes de doutoramento, co-autoria em publicações em revistas de referência internacional, realização de conferências e participação em júris de doutoramento”.

 

Rui Marques Simões

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »