A Universidade de Coimbra (UC) acolhe o primeiro Centro de Estudos Chineses-CASS a estabelecer-se em Portugal – e apenas o terceiro na Europa e 11.º em todo o mundo. Os Centros de Estudos Chineses-CASS são centros de investigação criados em parceria entre a Academia Chinesa das Ciências Sociais (CASS na sigla em inglês) e instituições académicas. A criação do organismo foi oficializada hoje, no Palácio Nacional de Queluz, pelos dirigentes máximos das duas instituições, na presença do presidente da República Popular da China (RPC), Xi Jinping, e do primeiro-ministro de Portugal, António Costa.

Trata-se de mais um importante passo no reforço dos laços entre a Universidade de Coimbra e a República Popular da China, uma das prioridades estratégicas da instituição conimbricense. Com o nome oficial de CASS-UC Centre of China Studies, o Centro de Estudos Chineses vai funcionar no Colégio da Trindade, em conjunção com a recém-criada Academia Sino-Lusófona da Universidade de Coimbra e tendo como objetivo a promoção da cooperação entre a China e Portugal nas áreas do Direito, Humanidades e Ciências Sociais.

A CASS é o maior e mais importante think tank da República Popular da China, com enorme relevo na elaboração de estudos que servem de base à definição de inúmeras políticas nacionais e regionais da nação asiática. O documento que oficializa a criação do Centro de Estudos Chineses-CASS – cujas instalações já foram ontem formalmente inauguradas, durante a visita a Coimbra de uma comitiva da Academia Chinesa de Ciências Sociais – foi assinado esta manhã, pelo reitor da UC, João Gabriel Silva, e pelo presidente da CASS, Xie Fuzhan, numa iniciativa integrada na visita de Estado de Xi Jinping a Portugal.

UC | Paulo Amaral

“No mundo global em que vivemos a China é um país cada vez mais decisivo. A Universidade de Coimbra pretende estar na frente do trabalho de construção de caminhos de compreensão mútua entre a China e os países de língua portuguesa, bem como com a Europa, e esta parceria com uma instituição tão central na China de hoje como é a CASS é uma enorme oportunidade nesse desígnio estratégico” afirma João Gabriel Silva.

Os Centros de Estudos Chineses-CASS – até aqui com presença limitada a Bordéus e Helsínquia, no continente europeu – focam-se na promoção de atividades relevantes para o desenvolvimento de conhecimento sobre a China, como a organização de exposições, conferências, seminários e cursos temáticos, a cooperação e promoção de projetos de investigação conjunta e a publicação de conteúdos académicos. A sua fixação em Coimbra segue-se a outros sinais do reavivar da ligação secular entre a Universidade de Coimbra e a República Popular da China, visível no reforço das parcerias e eventos entre a UC e instituições académicas da China, na crescente presença de estudantes chineses, no aumento da mobilidade de estudantes da Universidade de Coimbra para instituições chinesas, no desenvolvimento de canais de divulgação da UC em língua chinesa e na criação do Instituto Confúcio (2016) e da Academia Sino-Lusófona (2018).

 

Texto: Rui Marques Simões
Vídeo: Karine Paniza e Marta Costa

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »