Um museu virtual para as Repúblicas

Abr 29, 2015

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Real República Pra Kys Tao
A plataforma já tem disponível o espólio fotográfico da Real República Pra-Kys-Tão
Fotografia: © UC | Simone Silva

Querendo preservar a história, pensamentos e reflexões das Repúblicas de Coimbra e disponibilizar de forma gratuita toda essa informação e historicidade, o estudante e repúblico Nuno Miguel Neves e o arquiteto Mário Carvalhal, fundaram o “Projecto R – Arquivo Digital das Repúblicas”. A plataforma online é como “um museu”, refere o estudante de doutoramento em Materialidades da Literatura da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC).

É outra forma das casas estarem abertas e receberem quem lhes bate à porta

O objetivo do projeto é mostrar e dar a conhecer as vivências e convivências das Repúblicas. Num “tempo de encontros” o objetivo é apresentar a história e os pontos culturais das emblemáticas casas de estudantes, afirma Nuno Neves. São 28 Repúblicas e 28 histórias diferentes que se pretendem dar a conhecer no prazo de quatro anos.

Sem entraves por parte dos repúblicos, houve retorno positivo por parte das Repúblicas em ajudar e participar na concretização do projeto. “É outra forma das casas estarem abertas e receberem quem lhes bate à porta”, afirma o Nuno Neves.

Promover de forma gratuita as histórias das Repúblicas menos conhecidas é um das ideias chave desta plataforma. São várias as Repúblicas com histórias interessantes para contar e que não são assim tão conhecidas, conta o repúblico. Nuno Neves adianta ainda que o Projeto R “pode funcionar como ponto de encontro entre repúblicas e a UC e também com a própria cidade”.

O Projecto R – Arquivo Digital de Repúblicas foi apresentado no Ateneu de Coimbra a 28 de abril. No evento estiveram presentes antigos e atuais repúblicos. A plataforma está integrada nos 725 anos da Universidade de Coimbra, e na programação da 17ª. Semana Cultural da UC.

Mais informações aqui.

 

Reportagem realizada por Andreia Santos e David Almeida, estudantes de Jornalismo da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »