Universidade de Coimbra apresenta arquivo Max Stahl

Fev 20, 2019

PartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someone

Max_750
Max Stahl, jornalista britânico que ficou célebre por ter registado as imagens do massacre de Santa Cruz.
Fotografia: © UC | François Fernandes

O Centro Audiovisual Max Stahl Timor-Leste (CAMSTL), instalado na Universidade de Coimbra (UC), vai ser apresentado publicamente a 21 de fevereiro, pelas 16h00, na Sala do Senado. Este repositório online, com mais de 5000 horas de gravações, representa a mais completa coleção de registos-vídeo sobre a história da nação maubere. No evento, estará Max Stahl, jornalista britânico que ficou célebre por ter registado as imagens do massacre de Santa Cruz (episódio que permitiu mostrar ao mundo as condições da ocupação de Timor-Leste pela Indonésia).

O registo audiovisual de momentos-chave como o massacre de Santa Cruz mudou o curso da história em Timor-Leste – a ponto de a UNESCO considerar que esta foi “a primeira nação a libertar-se através do poder das imagens”. Para preservar e enriquecer o mais completo repositório audiovisual desses tempos (passado e presente de Timor-Leste), disponibilizando-o para investigações e projetos educativos, a Universidade de Coimbra trabalhou ativamente nos últimos dois anos na conservação do arquivo do CAMSTL.

A apresentação pública é mais um importante marco do processo iniciado em 2016, com a assinatura de um protocolo entre a Universidade Nacional de Timor Leste, o Centro Audiovisual Max Stahl de Timor Leste e a Universidade de Coimbra. Contendo mais de 5000 horas de material de vídeo e estando disponível via Internet, o arquivo instalado em Coimbra funciona como réplica sincronizada do arquivo original de Dili.

Inscrito pela UNESCO no Registo da Memória do Mundo, desde 2013, o arquivo online do CAMSTL tem aumentado cerca de 400 horas por ano.

 

Mais informações sobre o projeto disponíveis aqui.

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »