Academia

1.º Encontro das Escolas Doutorais da UC partilha “práticas inspiradoras” entre instituições

Supervisão, competências transferíveis e impacto da formação nos programas doutorais foram os assuntos debatidos no Colégio da Trindade.

08 julho, 2022≈ 2 mins de leitura

© UC | Ana Bartolomeu

Os desafios da educação doutoral foram o tema transversal a todas as intervenções durante o 1.º Encontro das Escolas Doutorais da Universidade de Coimbra (UC), que reuniu cerca de uma centena de participantes no Colégio da Trindade. De acordo com a Vice-Reitora para a Investigação da UC, Cláudia Cavadas, o evento constitui um "momento de partilha de práticas inspiradoras de outras instituições que podemos vir a utilizar" no futuro.

As cinco Escolas Doutorais da UC celebram um ano de existência em novembro e, "têm desenvolvido uma série de cursos complementares e relevantes para os estudantes de doutoramento". Cláudia Cavadas explica que 2022 é ainda um “ano-piloto”, no qual se procura ver “o que é realmente necessário” nos programas de doutoramentos. "Temos de fazer mais, nomeadamente para os orientadores e para as orientadoras”, defende.

Cláudia Cavadas admite que a visibilidade ao 3.º ciclo de estudos da UC é um dos pontos a melhorar. A questão foi o ponto de partida da palestra proferida por Rosemary Deem. A investigadora da Universidade de Londres defende a criação de programas de doutoramento mais inclusivos e flexíveis, bem como um maior apoio aos orientadores.

Também orador convidado, o Chefe do Conselho para o Doutoramento da Associação das Universidades Europeias, Alexandre Hasgall, refletiu sobre as tendências atuais da Educação Doutoral da Europa, destacando a importância das Escolas Doutorais como "ponto de encontro entre a educação superior e a investigação". Para Alexandre Hasgall, as Escolas Doutorais devem ser vistas como "espaços de partilha” e onde os estudantes podem encontrar “experiência adicional” para melhorarem o trabalho desenvolvido mas também para melhor se prepararem para o futuro.

Uma opinião partilhada pelo Reitor da Universidade de Coimbra, que encerrou o 1.º Encontro das Escolas Doutorais da UC. Amílcar Falcão considera que os estudantes de Doutoramento devem “estar envolvidos numa rede” que permita “partilhar ideias e conteúdos com colegas de outras áreas”.

As Escolas Doutorais da UC facilitam a partilha e ajudam a “formar a pessoa noutras dimensões”, numa formação “alinhada com as áreas estratégicas da Universidade de Coimbra”, conclui o Reitor da UC.

Todas as informações sobre o encontro encontram-se disponíveis aqui.