Cultura

Mimesis 2022: Espetáculo Desumanização apresenta uma versão cénica do romance de Valter Hugo Mãe

A adaptação homónima da obra “Desumanização” tem a dramaturgia de José Pedro Pereira. Conta com a direção e encenação de José Leitão, fundador e diretor da Art’Imagem.

19 maio, 2022≈ 3 mins de leitura

© DR

Numa pequena aldeia abafada pela monumentalidade dos fiordes islandeses, Halldora surge em cena a partir da boca de Deus para nos contar como foi lidar com a morte de Sigridur, sua irmã gémea. Como preencher a metade que se perdeu? Como viver pelas duas? Como ocupar o outro lado do espelho?

Desumanização é baseada na obra homónima de Válter Hugo Mãe, “um dos grandes autores portugueses, dos mais interessantes e inovadores”, afirma José Leitão, diretor e encenador do grupo de teatro Art’Imagem. “É sempre um autor apetecível para trazer ao palco, porém muito difícil, porque os seus textos não foram preparados para uma plateia”.

O espetáculo é “poderoso”, revela José Leitão, e aborda diversos temas como perda, luto, superação e questiona ainda "os limites da Humanidade através de numa visão artística, entre o real e imaginário”.

Uma atriz, várias vozes e diferentes glaciares. A peça foi criada “para que as pessoas que vão ao teatro tenham a oportunidade de refletir sobre a vida, lutas, amores e deceções”, reflete o encenador.

Com cerca de uma hora de duração e depois de vários dilemas, o espetáculo Desumanização tem o objetivo de fazer chorar, rir, sentir dor ou exaltação, mas acima de tudo, o amor prevalece e deixa uma mensagem de esperança e superação para o futuro.

Desumanização tem lugar a 25 de maio na Oficina Municipal de Teatro às 21h30. Os bilhetes estão disponíveis na bilheteira do Teatrão, com um valor de 5€.

O TEATRO ART'IMAGEM


O Teatro Art’Imagem é uma Associação Cultural que, no âmbito da sua missão de serviço público e da planificação da actividade plurianual, tem como principais objetivos: assegurar a prestação de um serviço público no domínio da atividade teatral, produzindo e apresentando espectáculos segundo padrões de excelência artística e técnica; divulgar a sua atividade junto de todos os públicos; promover a criação e produção de dramaturgias em língua portuguesa e de obras de referência do reportório universal; contribuir para o aperfeiçoamento do sistema de formação artística na área teatral; acolher criações nacionais e estrangeiras que permitam o desenvolvimento de novas estéticas teatrais.

Inicia a sua atividade em 20 de Agosto de 1981 quando um grupo de pessoas, professores e estudantes - uns vindos do teatro de amadores, outros com atividades político-sindicais e de animação cultural, resolvem formar um grupo de teatro a que deram o nome de Teatro Art'Imagem. No dia 4 de Maio de 1982, regularizaram a Associação, criaram um corpo de sócios para constituir a direcção, aprovaram os estatutos e o regulamento interno em escritura. A partir desse ano começaram a afirmar-se como companhia de teatro independente profissional. A sua fundação, assim como a maior parte da sua atividade foi realizada na cidade do Porto.

Considerando a importância do teatro na sociedade, tem como prioridade abrir o seu espaço, através do Protocolo de Programação da Quinta da Caverneira, à comunidade, levando a todas as camadas da população atividades culturais e artísticas, tendo como horizonte potenciar a relação do Teatro com a cidade da Maia e com o país, desenvolvendo a sua obrigação de constituir um polo cultural de qualidade e de promover a cidadania, suscitando, através da dinâmica produzida entre criações e iniciativas paralelas, novos hábitos e necessidades culturais, capacidade de receção, sentido crítico e interesse pelo teatro do público em geral. Faz, igualmente, parte da sua missão reforçar a itinerância, a internacionalização e o acolhimento de produções nacionais e internacionais, escolhidas pela qualidade e pela atualidade das linguagens envolvidas.

O projecto desenvolve-se em quatro eixos fundamentais: Criação, Programação da Quinta da Caverneira, Produção de Festivais e Desenvolvimento de Público. As criações regidas por critérios de grande exigência de qualidade artística, procuram a consolidação do projeto da companhia, assim como um correto enquadramento dos jovens atores recém-formados, promovendo a formação de novos públicos. A Programação da Quinta Caverneira é o lugar de encontro entre atores, criadores, no acolhimento de espetáculos que traduzem o panorama teatral consagrado e emergente. O Desenvolvimento de públicos, é o conjunto de ações, através das Oficinas de Teatro anuais, do Fundo Teatral e de outras actividades. Toda a atividade assenta num coeso grupo de profissionais que abarca três gerações e cujo núcleo principal trabalha há mais de duas décadas, bem como a maior parte dos colaboradores, aliados a jovens no início da sua atividade profissional, garantindo um trabalho sério e rigoroso.

A companhia estreia , em média, três espectáculos por ano. Um novo autor contemporâneo, a revisitação de um clássico e a adaptação de um grande autor da literatura universal para jovens, constituem o vértice da criação artística. O recurso a diversas disciplinas teatrais e o diálogo com as novas linguagens são também caminhos para a captação e diversificação de públicos. Nos últimos anos os autores contemporâneos representados têm sido maioritariamente de língua portuguesa. Os espectáculos têm estreias e temporadas no Porto e na Maia e são levados a todo o território nacional, com uma média de 120 representações anuais e participações em vários festivais de teatro. Nos anos 80 fez 15 digressões internacionais (várias vezes por Espanha, Bélgica, Checoslováquia, França, Áustria e Alemanha). Nos anos 90 realizou 16 digressões (por França, Espanha, Bélgica, Inglaterra e Dinamarca). Desde o ano 2000 já fez mais de duas dezenas de digressões a Espanha, Brasil, Cabo Verde e França.

Desde 1982 organiza o terceiro festival mais antigo do país, o "Fazer a Festa - Festival Internacional de Teatro", por onde já passaram as mais representativas companhias nacionais e galegas, várias companhias brasileiras e muitas outras de países europeus. Desde 1994, em colaboração com a Câmara Municipal da Maia, organiza anualmente o Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia, onde programa os melhores espectáculos deste género, de Portugal e de Espanha, e por onde passaram já também companhias do resto da Europa, América, África e Oceânia. Além da "Maia ao Palco - Mostra de Teatro de Amadores da Maia" que a companhia organiza desde 2008, tem actividades regulares de formação teatral para crianças, jovens e seniores e é responsável pela Programação Regular de Teatro do Auditório da Quinta da Caverneira, em colaboração com a CM Maia. Entre 2009 e 2012 organizou a "MAD - Mostra Anual de Dramaturgia".

Partilhe