Investigação

Mulheres da UC na Ciência: Ana Cristina Santos

Investigadora principal no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, Ana Cristina Santos é a convidada de setembro na rubrica Mulheres da UC na Ciência.

05 setembro, 2022≈ 2 mins de leitura

© UC | Ana Bartolomeu

O estudo de género sempre foi um tema que a interessou. Hoje, a investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra reflete que há "um tema comum a todas as investigações que tem desenvolvido, dentro do chapéu dos estudos de género, que são as questões LGBTQ+".

É "com muita esperança" que Ana Cristina Santos olha para a área de investigação em que trabalha. "Contrariamente àquilo que por vezes se ouve dizer, que o trabalho da academia é exasperante, frustrante e que há pouco financiamento", o que também recorda ser verdade, a investigadora garante que, "quando se trabalha numa área que se percebe estar associada a questões de vulnerabilidade, de discriminação e de injustiça, a nossa motivação para trabalhar é acrescida". "Porque se percebe que o nosso trabalho não fica encerrado nas quatro paredes", defende.

Socióloga e Doutorada em Estudos de Género pela Universidade de Leeds, Reino Unido, é Investigadora Principal no Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra. No CES-UC é Coordenadora da Linha Temática Democracia, Justiça e Direitos Humanos e Co-coordenadora do Programa de Doutoramento Direitos Humanos nas Sociedades Contemporâneas.

Tem publicado extensivamente e liderado uma série de projetos de investigação sobre temas LGBTQI+, género, corpo e cidadania íntima, incluindo dois financiamentos atribuídos pelo European Research Council (Conselho Europeu de Investigação). Depois de Vice-Presidente do Conselho Científico do CES (2013-2016) e Presidente da Comissão de Ética do CES (2017-2020), foi recentemente eleita para o Comité Executivo da Associação Europeia de Sociologia, até 2024.

Lidera atualmente dois projetos de investigação: Infâncias Arco-Íris, financiado pela Comissão Europeia, e REMEMBER, financiado pela FCT. Iniciará em 2023 o estudo internacional TRACE financiado pelo European Research Council e centrado no envelhecimento de pessoas LGBTQ+ no Sul da Europa.

Os seus livros mais recentes são: The SAGE Handbook of Global Sexualities (Sage, 2020) e The Tenacity of the Couple Norm (UCL Press, Open Access, 2020). Ainda em 2022 será publicado o seu novo livro, LGBTQ+ Intimacies in Southern Europe: Citizenship, Care and Choice centrado nos temas da cidadania íntima e cuidado (Palgrave, Open Access, no prelo).