Investigação

Mulheres da UC na Ciência: Sandra Saldanha

Investigadora no Centro de História da Sociedade e da Cultura, foi agraciada com o prémio Semente de Investigação na área do Património, Cultura e Sociedade. É a convidada de agosto na rubrica Mulheres da UC na Ciência.

01 agosto, 2022≈ 2 mins de leitura

© UC | Ana Bartolomeu

Com um percurso académico "que se iniciou nas artes decorativas portuguesas" mas acabou por se voltar por outros domínios mais amplos da história da arte, Sandra Saldanha é docente e investigadora da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), e tem desenvolvido trabalho no Centro de História da Sociedade e da Cultura. "O gosto pela investigação" continua sempre patente, e mantém a vontade "de dar novos e melhores contributos" através do seu trabalho.

"Uma das componentes mais fascinantes é o poder comunicar, o poder partilhar com os outros, e sentir que isso chega aos outros", defende Sandra Saldanha. De acordo com a investigadora da FLUC, "uma meta invisível mas fantástica é o poder do património". Com o trabalho que tem desenvolvido, Sandra Saldanha acredita que é possível fazer a "diferença e que as pessoas passaram a olhar para este património de uma maneira diferente, porque foram envolvidas, porque lhes mostrámos [este património] de outra perspetiva".

"É fascinante continuar a aprender com o que são os percursos dos outros", garante.

Sandra Costa Saldanha é doutorada em História da Arte, professora auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC) e investigadora do Centro de História da Sociedade e da Cultura.

Dedica atividade científica à investigação da arte portuguesa na Idade Moderna, particularmente ao estudo das relações luso-italianas, intercâmbios estéticos e impactes sobre a produção escultórica dos séculos XVII e XVIII, em contexto nacional, luso-brasileiro e ibero-americano.

Atualmente, é investigadora responsável do projeto "Imaginária: proteção participativa do património escultórico do Paço das Escolas da Universidade de Coimbra". Focado no estudo interdisciplinar deste conjunto escultórico, tem por objetivo produzir novo conhecimento sobre o património UC, implementar práticas sustentáveis de conservação, ensaiar estratégias de vinculação das comunidades aos processos de salvaguarda, testar novos modelos de interação com diferentes públicos e fomentar o papel das artes como instrumentos de fruição e mediação patrimonial.

Docente nas áreas disciplinares da História da Arte, do Design e das Artes Decorativas, exerceu funções no IADE - Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing (1999-2019) e na Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa (2008-2010). Foi colaboradora da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais na elaboração do Inventário do Património Arquitetónico do distrito de Lisboa e coordenadora do Serviço de Património, Investigação e Promoção Cultural do Patriarcado de Lisboa, com funções de gestão, investigação e dinamização do mosteiro de São Vicente de Fora.

Com atuação no domínio mais alargado do património artístico e cultural, enquanto diretora do Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja e membro do Conselho Nacional de Cultura, desenvolveu atividade nos domínios do inventário, conservação, restauro, museus, arquivos e bibliotecas, com resultados expressos na implementação de diversos projetos e iniciativas de investigação, formação e transferência de conhecimento junto da sociedade.