Sustentabilidade

Universidade de Coimbra promove workshop de capacitação para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

O evento, organizado pela UC através do UC Business, em articulação com o Gabinete para o Desenvolvimento Sustentável da UC, teve lugar a 26 de novembro e contou com cerca de 36 pessoas no formato presencial.

06 december, 2021≈ 3 mins de leitura

O Workshop ODS decorreu em novembro de 2021.

© UC | Marta Costa

A Universidade de Coimbra (UC) acolheu a 26 de novembro, o Workshop ODS, que teve como mote a sensibilização para a consciência de que os efeitos das ações alinhadas com o compromisso de concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Agenda 2030 das Nações Unidas, só vão ser visíveis se a mudança de comportamentos e a adoção de boas práticas forem verdadeiramente globais e alinhados com os propósitos da sociedade e das organizações.

Organizada pela UC através do UC Business, em estreita articulação com o recém-criado Gabinete para o Desenvolvimento Sustentável da UC (GDS.UC), esta sessão de capacitação teve como objetivo a promoção de um ecossistema que mobilize os seus principais atores para a adoção de práticas que respondam aos novos desafios societais. Assim, participaram no workshop, realizado em formato presencial, 36 pessoas, com responsabilidades de execução ou de acompanhamento de matérias ligadas à sustentabilidade e ao desenvolvimento sustentável, que possam também constituir-se como agentes de alinhamento e de mobilização interna para os ODS nas suas instituições. Destaca-se a presença de elementos das Universidades de Coimbra, de Aveiro e da Beira Interior, instituições de ensino superior da região Centro que integram o consórcio UI.CAN - Universidades como Interface para o Empreendedorismo, projeto de inovação no âmbito do qual se realizou a sessão.

A encerrar a formação, realizou-se o Seminário "Combater o Greenwashing", numa parceria entre a UC e a Global Compact Network Portugal, com o apoio da Associação Portuguesa de Ética Empresarial e do projeto UI.CAN.

“Manual de instruções para salvarmos o Planeta” foi destinado a toda a comunidade universitária, mas também aberta ao público em geral, contribuiu para a promoção de boas práticas, quer a nível pessoal, quer a nível institucional e empresarial.

Em formato de mesa redonda, o Seminário decorreu de forma online, complementando o Workshop, e contou com cerca de uma centena de pessoas, entre os participantes remotos e em sala, que assistiram às intervenções de quatro oradores.

Mário Parra da Silva, Presidente da Global Compact Network Portugal, iniciou a sessão, contextualizando o fenómeno greenwashing, a forma como pode ser identificado e a forma como as instituições o devem evitar. Leonardo Rocha Souza, da Divisão de Estatísticas das Nações Unidas, abordou a importância das estatísticas e dos indicadores para comprovar as ações de sustentabilidade e, por outro lado, para permitir desmascarar práticas de greenwashing, seguindo-se uma perspetiva empresarial, com o Diretor da Altice Labs, Alcino Lavrador, a abordar a ligação entre inovação, sustentabilidade e responsabilidade social. Por fim, Bela Gil trouxe um testemunho mais pessoal sobre o tema, enquanto cidadã, chef de cozinha e influenciadora digital focada em temas de sustentabilidade.

Após um momento de discussão entre os oradores, moderado por Tânia Covas, o seminário contou com as intervenções finais de Filipe Rocha, Chefe da Divisão de Planeamento, Gestão e Desenvolvimento da UC, que mostrou o que tem sido a ação da Universidade de Coimbra no âmbito da sustentabilidade e da responsabilidade social e apresentou o GDS.UC, e da Pró-Reitora da Universidade de Coimbra, e Conselheira do Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável, Patrícia Pereira da Silva, que proferiu as considerações finais.

Sabe o que é o greenwashing?


O termo greenwashing é usado quando uma entidade, organização ou instituição investe tempo e dinheiro em ações de marketing para a relacionar com boas práticas ambientais em vez de executar, em todas as áreas da sua atuação, práticas que minimizem os impactes ambientais negativos.
É comum afirmar-se que existe um branqueamento dos factos, mas com uma “escova verde”; daí a opção pelo termo greenwashing.