O Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde (ICNAS) da Universidade de Coimbra (UC) foi designado Centro Colaborador da Agência Internacional de Energia Atómica (IAEA) – o organismo das Nações Unidas que trata da utilização pacífica das radiações. A distinção, bastante rara (existem apenas mais cinco Centros Colaboradores na área da produção de radioisótopos e tecnologias da radiação, em todo o mundo), foi oficializada esta sexta-feira.

O contrato de designação do ICNAS como Centro Colaborador da IAEA foi celebrado numa cerimónia por videoconferência, a partir de Viena (sede da Agência Internacional de Energia Atómica), com a participação do Reitor da UC, Amílcar Falcão, do Diretor do ICNAS, Antero Abrunhosa, da Vice-Diretora e chefe do Departamento de Ciências e Aplicações Nucleares da IAEA, Najat Mokhtar, e da Diretora da Divisão de Ciências Físicas e Químicas da IAEA, Melissa Denecke. O documento prevê a colaboração formal entre duas instituições, por um período de quatro anos (renováveis), nos campos da produção e investigação & desenvolvimento de radioisótopos e radiofármacos.

A nomeação da unidade orgânica da Universidade de Coimbra como Centro Colaborador da IAEA “é um reconhecimento da excelência da investigação feita no ICNAS e vai abrir portas para outras colaborações internacionais, ao colocar o ICNAS nas mesas das reuniões onde se decidem temas importantes para todo o mundo”, sublinha o Reitor.

“É uma distinção muito importante, a primeira que Portugal tem na Agência Internacional de Energia Atómica. Temos a missão de transferir o saber que é produzido na UC para os países parceiros da Agência em todo o mundo”, acrescenta o Diretor do ICNAS. Em concreto, o ICNAS vai assumir “um duplo papel de aconselhamento da Agências e comités de peritos e de participação nos programas de formação internacionais”, explica Francisco Alves, investigador responsável pelo projeto.

Por sua vez, a Vice-Diretora e chefe do Departamento de Ciências e Aplicações Nucleares da IAEA, Najat Mokhtar, destaca o facto de a Agência ter, pela primeira vez, um “Centro Colaborador em Portugal, o que é uma grande conquista e um reconhecimento pelo apoio do ICNAS às atividades da IAEA”. “O conhecimento especializado do ICNAS será uma mais-valia para a IAEA nas importantes áreas de produção, investigação e desenvolvimento de radioisótopos e radiofármacos”, completa a Diretora da Divisão de Ciências Físicas e Químicas da IAEA, Melissa Denecke,

Criado em 2009, o Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde da Universidade de Coimbra é um centro de excelência na área da Imagem Médica Avançada e da Investigação Translacional, que se converteu nos últimos anos numa das referências globais na produção de radioisótopos e radiofármacos, realizando também exames inovadores e pioneiros ao nível da PET (Tomografia de Emissão com Positrões) e da Ressonância Magnética – nomeadamente nas áreas da oncologia, cardiologia e neurociências.

Além do ICNAS, são Centros Colaboradores da Agência Internacional de Energia Atómica na área da produção de radioisótopos e tecnologia de radiação os institutos nacionais de ciências e tecnologias nucleares de França (INSTN), Indonésia (BATAN), México (ININ), Polónia (INCT) e EUA (NCEBR).

A galeria fotográfica do evento pode ser vista aqui

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »