Cultura

Língua Portuguesa: uma língua de futuro

Congresso internacional encerra comemorações dos 725 anos da UC

20 july, 2015≈ 3 mins de leitura

Ver o português como língua do futuro é o propósito do congresso internacional que encerra as comemorações dos 725 anos da Universidade de Coimbra (UC) e que decorre entre 2 e 4 de dezembro. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas aqui. A chamada de comunicações realiza-se até dia 15 de agosto.

A língua portuguesa tem sido afirmada como uma das prioridades estratégicas da UC e o congresso vem sublinhar a sua importância cultural e científica. Entre os temas a abordar, propõe-se uma reflexão sobre o português como idioma científico sujeito a diversas interpretações. Como explica Carlos Reis, professor catedrático da UC e coordenador da comissão executiva do Congresso, “justamente por estar espalhada em vários países e vários continentes, a diversidade é ao mesmo tempo um desafio e um fator de enriquecimento”. Durante o congresso, a língua portuguesa será olhada também do ponto de vista da literatura, do sistema de ensino e a partir da sua posição no mundo digital.

De acordo com Carlos Reis, o Congresso “acontece porque tem havido preocupação da sociedade civil, das universidades, das instituições culturais” com uma língua que “vive aquilo a que lhe chamamos «dinâmica de inovação»”, ou seja, que “está sempre a mudar”, conclui.

 

 

Carlos Reis defende que o português pode vir a ser uma língua de futuro, mas isso depende do “que fizermos dela no presente”. Para o docente, o que falta é uma “uma política de língua articulada, inclusivamente articulada entre os vários países que falam a Língua Portuguesa”.

A Universidade de Coimbra convida todos os que se interessam pelo futuro da Língua Portuguesa a participar no congresso “Língua Portuguesa: Uma Língua de Futuro”, que se realiza entre 2 e 4 de dezembro, no Convento de S. Francisco, em Coimbra.

Além do programa científico, o Congresso conta ainda com um programa cultural que inclui teatro, música e literatura.

Pode consultar toda a informação e subscrever as novidades no site do Congresso.

 

 

Reportagem realizada por Ana Zayara, estagiária Projeto Imagem, Media e Comunicação da Universidade de Coimbra.

Partilhe