O Prémio Nobel da Literatura de 2020 foi atribuído a Louise Glück, “pela sua inconfundível voz poética que, com a sua beleza austera, faz da sua existência individual, universal”.

A catedrática jubilada da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Maria Irene Ramalho, dá-nos a sua opinião sobre a autora premiada.

Marta Costa e Karine Paniza

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »