Mérito

Obra de investigador da UC premiada pela Academia Portuguesa de História

Livro “A arquitectura branca: os sanatórios para a tuberculose em Portugal” é o resultado da adaptação da tese de doutoramento de José Avelãs Nunes, na Universidade de Coimbra

17 novembro, 2022≈ 2 mins de leitura

O livro “A arquitectura branca: os sanatórios para a tuberculose em Portugal”, da autoria de José Avelãs Nunes, investigador colaborador do Centro de Estudos Interdisciplinares (CEIS20) da Universidade de Coimbra (UC), foi distinguido com o prémio “Lusitania” da Academia Portuguesa de História, de 2022.

A obra - editada pela Sociedade Portuguesa de Pneumologia e By the Book – é o resultado da adaptação da tese de doutoramento de José Avelãs Nunes, na Universidade de Coimbra (sob orientação de José António Bandeirinha e Paulo Providência) – que também foi galardoada, com o Prémio Victor de Sá de História Contemporânea, em 2018.

"O que nos contam os sanatórios, através das suas paredes? O que ouviram, durante décadas, aos seus médicos, arquitectos e doentes? Como se vivia, durante meses a fio, na esperança de uma cura? Que mãos desenharam a arquitectura para a “peste branca”? São, estas, algumas das questões que o livro propõe responder, levantando o véu a um século de história de um Portugal, que se queria são” – como é referido na contracapa da obra, que “utiliza um percurso histórico abrangente e ilustrado, com foco na história da arquitectura e na história da medicina, tendo o sanatório para a tuberculose como protagonista”.

O prémio vai ser entregue a 7 de dezembro, na sede da Academia Portuguesa de História, em Lisboa. Mais informações sobre estes galardões anuais estão disponíveis no endereço https://academiaportuguesadahistoria.gov.pt/wp/premios/.

Partilhe