Investigação

UC apresenta projeto de 5 milhões que vai estudar a relação entre a saúde humana e os ecossistemas aquáticos urbanos

A sessão de abertura do evento, na qual será apresentado o projeto "OneAquaHealth”, vai ter lugar no auditório do DCV, dia 1 de fevereiro, pelas 9h30.

31 janeiro, 2023≈ 3 mins de leitura

© DR

O Departamento de Ciências da Vida (DCV) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) vai receber, nos dias 1 e 2 de fevereiro, a reunião de arranque do projeto internacional “OneAquaHealth – Protecting Urban Aquatic Ecosystems to Promote One Health”, liderado por Maria João Feio, investigadora da Universidade de Coimbra, do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e do Laboratório Associado ARNET.

A sessão de abertura do evento, na qual será apresentado o projeto, vai ter lugar no auditório do DCV, amanhã, dia 1 de fevereiro, pelas 9h30, e conta com a presença de Cláudia Cavadas, vice-reitora para a Investigação, Carlos Lopes, vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Coimbra, Miguel Pardal, diretor do DCV, e ainda, Jaime Ramos, coordenador do MARE, em Coimbra.

«O “OneAquaHealth” é um projeto ambicioso e tem como foco os desafios que a crescente urbanização global impõe à natureza, nomeadamente na sua preservação, especificamente nos ecossistemas de água doce, e na saúde humana», explica Maria João Feio.

Os objetivos desta investigação passam por «demonstrar como o bem-estar dos ecossistemas aquáticos está altamente interconectado com o homem, os contextos urbanos de saúde e a mitigação de surtos de doenças», esclarece a investigadora da FCTUC, acrescentando que, «com o intuito de restabelecer o equilíbrio dos ecossistemas nas cidades, este projeto irá promover a monitorização de indicadores de alerta precoce para avaliar o equilíbrio do ecossistema e fornecer, aos decisores, ferramentas que permitam decisões adequadas e atempadas».

Segundo a coordenadora de “OneAquaHealth”, este kit de ferramentas incluirá medidas baseadas na natureza para recuperar e manter a saúde do ecossistema aquático (e, portanto, a saúde humana, animal e vegetal) em diferentes cenários, incluindo mudanças climáticas.

Este projeto, financiado pelo programa Horizon Europe, tem um orçamento de cerca de 5 milhões de euros e conta com a participação de 13 parceiros de uma dezena de países, nomeadamente, Áustria, Bélgica, Espanha, França, Grécia, Israel, Itália, Noruega, Portugal e Suíça.