Multimédia

Adriana Calcanhotto abre as comemorações dos 725 anos da UC

20 fevereiro, 2015≈ 4 mins de leitura

© Daryan Dornelles

Adriana Calcanhotto faz um concerto único na Região Centro para o primeiro espetáculo da 17ª Semana Cultural/725 Anos da Universidade de Coimbra. A cantora volta a Portugal com um dos seus espetáculos mais populares. O TAGV recebe Olhos de Onda no dia 2 de março, às 21h30. Um espetáculo onde os protagonistas são a voz singular da artista e violão.

Em Olhos de Onda, a cantora e compositora brasileira interpreta os seus maiores sucessos e alguns inéditos, em versão voz e violão. Adriana Calcanhotto atua pela primeira vez: Teatro Académico de Gil Vicente/TAGV (Coimbra, 2 de março), Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa, 25 de fevereiro), Teatro das Figuras (Faro, 5 de março) e Theatro Circo (Braga, 7 de março).

 

 

 

Adriana Calcanhotto revela-se moderna no discurso e delicada na harmonia da sua música. Na poesia, ao musicar os versos de Mário de Sá-Carneiro e do francês Jacques Prevért. Nas artes plásticas, ao envolver-se com a obra de Lygia Clark e Helio Oiticica. No cinema, ao compor bandas sonoras para documentários e espetáculos. Na carreira, alcança um equilíbrio entre qualidade e popularidade que a tornaram num dos nomes incontornáveis da música popular brasileira.

A trajetória de Adriana começa no sul do país, em Porto Alegre, cidade onde nasceu em outubro de 1965, de uma mistura de italianos e portugueses. Mãe bailarina, pai baterista e “um ambiente harmonioso para que a menina, aos 13 anos, já se aventurasse a inventar canções.” Nas descobertas musicais de Adriana não foi só o “fino canto” de João Gilberto ou as intrincadas invenções de Miles Davis, mas também os hits populares das rádios AM. Desenvolveu um ouvido sem preconceitos.

Estreou-se nos bares de Porto Alegre em 1984 e, quatro anos depois, causou sensação ao participar num concerto de Rita Lee. O primeiro álbum, Enguiço, foi lançado em 1990, data também da sua primeira digressão pelo Brasil, e a música, Naquela Estação (Caetano Veloso/João Donato) conquistou o público como banda sonora de uma novela de sucesso, A Rainha da Sucata, da TV Globo. Adriana Calcanhotto recebeu o prémio de revelação feminina.

Depois de estreia e em mais de 20 anos de carreira, Adriana Calcanhotto lançou outros oito álbuns. Desde 2003, trabalha com a produtora Sony e, sob o heterónimo Adriana Partimpim, lançou três álbuns e concertos de grande sucesso, numa proposta feliz em que regista a visão contemporânea para as canções infantis.

Em abril de 2013, apresentou-se em Portugal: 13 espetáculos em nove cidades diferentes, o primeiro em Lisboa, na Culturgest, integrando as comemorações do seu 20º aniversário, e onde estreou o espetáculo Olhos de Onda, concebido propositadamente para a ocasião.

Voz e Violão Adriana Calcanhotto
Técnico de Som Duda Vieira de Mello
Técnico de Luz Pedro Leston
Técnico de Backline Jorge Ribeiro (participação em Maldito Rádio)
Organização Reitoria da Universidade de Coimbra Coordenação artística e produção TAGV

Teatro Académico Gil de Vicente/TAGV // 02 março > 21h30
€20  > €15 [< 25, Estudante, > 65, Grupo + 10, Desempregado, Parcerias]
Locais de Venda // Bilheteira TAGV, BilheteiraOnline [tagv.bilheteiraonline.pt] e FNAC’s
Informações e Reservas:239 855 630 / frentecasa@tagv.pt

Partilhe