Cultura

“Almojam”, o dicionário histórico da língua árabe

Obra foi apresentada no Arquivo da Universidade de Coimbra, no âmbito das Jornadas Literárias de Sharjah.

06 outubro, 2022≈ 2 mins de leitura

© UC l Ana Bartolomeu

Cinco letras do alfabeto resultaram em 17 volumes. “Almojam” é um dicionário histórico da língua árabe que estabelece uma ligação entre várias civilizações no mundo. Com uma equipa de 350 investigadores de onze países, a obra estuda a língua árabe “desde a sua origem antes do Islão, até aos dias de hoje”, explica o Secretário Geral da Academia de Língua Árabe em Sharjah, Mohammad Safi Al Mostaghanemi.

Cada palavra é acompanhada de episódios históricos. “É esta a diferença entre um dicionário histórico e um dicionário geral comum”, que torna a obra importante para o mundo árabe e “é o espelho da nossa civilização”, acrescenta. “Almojam” foi apresentado no Arquivo da Universidade de Coimbra (UC), no âmbito das Jornadas Literárias de Sharjah, numa iniciativa que contribuiu para estreitar os laços luso-árabes. “Estamos a estreitar relações no domínio da cultura e línguas árabe e portuguesa, e esperamos que alguns académicos desta universidade possam juntar-se a nós na produção deste dicionário histórico no futuro", revela Mohammad Safi Al Mostaghanemi.

O Vice-Reitor para a Cultura e Ciência Aberta da Universidade de Coimbra, Delfim Leão, lembra que “temos 800 a mil palavras de origem árabe ainda em uso comum” e que faria todo o sentido desenvolver “um dicionário complementar sobre a presença do árabe no português”, colaborando no “engrandecimento” de um trabalho que considera ser “notável do ponto de vista científico”.

A relação entre a UC e Sharjah deu o primeiro passo quando quando a Universidade atribuiu, em 2018, o título de Doutor Honoris Causa ao Xeque Dr. Sultan Bin Muhammad Al Qasimi. Depois de dois dias de Jornadas Literárias de Sharjah em Coimbra, o próximo encontro acontece em novembro, na Feira do Livro de Sharjah. Em 2023, durante o período sagrado do Ramadão, a Universidade de Coimbra repete a visita, desta vez com uma exposição sobre a presença dos portugueses em território árabe durante o século XVI.