A Universidade de Coimbra (UC) faz amanhã (quinta-feira, 24) a apresentação aos órgãos de comunicação social do plano de intervenção, reabilitação e recuperação do Colégio das Artes, que prevê um investimento global superior a 10 milhões de euros. A iniciativa inicia-se às 10h00, na Capela dos Colégio das Artes, com a participação do Reitor da UC, Amílcar Falcão, e do Diretor do Departamento de Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC [que tem sede no edifício], José António Bandeirinha, seguindo-se uma visita guiada pelos espaços a intervencionar.

No âmbito da requalificação do Colégio das Artes está prevista uma intervenção por fases (influenciada pela captação de fundos públicos), numa área de cerca de 9000m2. Após uma primeira intervenção, já iniciada, ao nível das salas de projeto, está programada uma segunda, focada nos aspetos estruturantes do edifício (fachadas, coberturas e galeria). Em conclusão, está o projeto de restauro da galeria e em curso o de restauro de coberturas e fachadas.

 

Sobre a história do edifício do Real Colégio das Artes:
O Real Colégio das Artes começou a ser construído em 1568, sendo inaugurado em 1616. Concentra-se em torno de um pátio quadrangular ornamentado com colunas toscanas no piso inferior. Devido às diversas ocupações de que foi alvo e às inúmeras funções que desempenhou ao longo dos séculos, o edifício colegial ganhou novas fisionomias arquitetónicas, conservando, contudo, algumas das estruturas das antigas salas de aulas (nomeadamente, as colunas de suporte e abóbadas de arestas)
Dos dois espaços de culto existentes no edifício colegial, apenas se conservou a pequena capela, localizada no flanco nascente do primeiro piso. A campanha de obras realizada nos inícios do século XX, ao altear as estruturas arquitetónicas, absorveu as áreas da capela, mas conservou, com ligeiras alterações, o átrio e a sacristia.
Depois de ter albergado os Hospitais da Universidade de Coimbra entre 1855 e 1987 (após uma grande reforma de adaptação ao “Hospital Escolar”, coordenada pelo médico e higienista Costa Simões), o Real Colégio das Artes retomou, em parte, os desígnios escolares para as quais foi construído. Aí se mantém em funcionamento, desde 1988, o Departamento de Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. E lá se encontra instalada, em parte do piso inferior, desde 2011, a mais recente unidade orgânica de ensino e investigação da Universidade de Coimbra, no domínio da arte e das disciplinas com ela conexas – designada, precisamente, de Colégio das Artes.

 

Rui Marques Simões

Redes Sociais

Os comentários estão fechados

« »