Património

Património e Desporto sob "Olhares com Rosto"

Integrado no programa do Sons da Cidade, o debate “Património e Desporto” levou a discussão um conjunto de ideias lançadas pela Comissão de Cultura, Património, Cidadania e Desporto do Conselho Geral da Universidade de Coimbra.

23 junho, 2022≈ 3 mins de leitura

© UC | Paulo Amaral

Depois de debater a Cultura e a Cidadania, no passado mês de maio, a Comissão de Cultura, Património, Cidadania e Desporto do Conselho Geral da Universidade de Coimbra (UC) levou a discussão pública o “Património e o Desporto”.

Em cima da primeira mesa-redonda, moderada por Maria Antónia Athayde Amaral do Conselho Geral da UC, esteve como tema principal a sustentabilidade do património “Universidade - Alta e Sofia” classificado pela UNESCO em 2013.

A Secretária de Estado da Cultura, Isabel Cordeiro, através de uma mensagem vídeo, salientou a importância de “adotar as soluções mais atuais para a conservação e restauro” do património, numa “estratégia que tem necessariamente de promover a investigação, a conservação e a comunicação sobre o vasto e rico património cultural deste universo”.

Uma das participantes do debate, a catedrática da Faculdade de Letras da UC,Maria José Azevedo dos Santos, alertou que “se não houver boa-vontade dos governos e das instituições” de nada valem essas estratégias. Focando sobretudo o espólio bibliográfico e documental, a ex-diretora do Arquivo UC defende a criação de linhas de financiamento “transversais à conservação e restauro de todo o património cultural português”.

Opinião apoiada pelos restantes participantes da mesa-redonda, Paulo Trincão, diretor do Museu da Ciência da UC e Paulo Pereira, da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa.

Na segunda mesa-redonda, onde o desporto foi o tema principal, o município fez-se representar com a participação de Paulo Bernardo. O diretor do Departamento de Desporto da Câmara Municipal de Coimbra propõe a elaboração de uma carta desportiva municipal que deve “ter uma visão de futuro” como “instrumento estratégico” para apoiar a prática da atividade física dos cidadãos.

Moderada por Pedro Couceiro do Conselho Geral da UC, o debate deu voz aos estudantes, representados por Catarina Costa, aluna da Faculdade de Medicina da UC e atleta Olímpica de Judo, e Bernardo Lopes, aluno da Faculdade de Letras da UC e presidente da pró-secção de Boccia da Associação Académica de Coimbra.

Apoiar as carreiras “duais” (estudante-desportista), em especial o estatuto de apoio ao atleta de pré-Alto Rendimento, foi outro dos temas em discussão.

Mário Santos, diretor dos Jogos Universitários Europeus de Coimbra 2018, recorda que “o alto rendimento e o sucesso desportivo não é só para quem quer, é para quem pode”. Nesse sentido, Mário Santos defende que também os “novos talentos” devem ser apoiados, e não apenas os atletas “que já são medalhados”.

Medidas para uma política consistente de apoio ao desporto adaptado foram também abordadas no evento.

O debate, que decorreu na Sala de São Pedro da Biblioteca Geral da UC, no dia em que se assinalaram os nove anos de entrada da Universidade de Coimbra - Alta e Sofia no património classificado pela UNESCO, integrou o programa do Sons da Cidade 2022.